Jhonatan Moura – Presidente do SIEMACO Guarulhos

Uma jovem liderança sindical que investe em tecnologia para mudar a vida do trabalhador

Dizem que a organização social e o sindicalismo estão no sangue, a gente nasce com esse perfil. Jhonatan Silva Moura, presidente do SIEMACO Guarulhos, é um exemplo dessa afirmação. Aos 33 anos, ele é visto como um dos expoentes da nova fase sindical, com uma história de luta e de superação.
Jhonatan nasceu em Diadema, região do Grande ABCD de São Paulo, filho de uma cozinheira e um zelador, aos três anos mudou-se com sua mãe  para o Jardim Lenize, bairro localizado na periferia de Guarulhos, segunda maior cidade do estado.

Entre brincadeiras na rua e bate papo com os amigos na adolescência, vieram também as primeiras contestações, o envolvimento em movimentos sociais do bairro e a busca por direitos da população periférica. “Sempre fui envolvido com movimentos sociais. Nasci e cresci na periferia, onde o Estado geralmente só entra com a polícia. Não tínhamos muita opção de lazer, cultura e educação, isso já me incomoda desde a adolescência. Por isso, fui buscar soluções, conversando com as lideranças do bairro e me envolvendo em ações coletivas”, conta.

E parece que Jhonatan estava predestinado a defender os interesses coletivos. Em 2010, aos 22 anos, sua vida deu uma guinada inesperada: de funcionário de uma rede de supermercados à sindicalista. “Estava numa fase muito difícil da minha vida, sem perspectiva, percebendo que o caminho que eu estava trilhando não iria me levar a lugar algum. Isso me deprimiu e mexeu demais comigo. Um amigo me viu nessa situação e me ofereceu um emprego que mudou minha vida completamente”, explica. Seu colega de infância havia sido chamado para o cargo de office boy na FEMACO, mas declinou e decidiu indicar Jhonatan, que aceitou esse novo trabalho imediatamente.

Novas perspectivas

A nova carreira, os novos encontros e as novas perspectivas formaram um divisor de águas para ele. “Eu estava realizado, trabalhando dentro da federação. Fazia banco, serviço administrativo e auxiliava todo o corpo de funcionários da FEMACO. Foi aí que conheci a minha referência sindical, Roberto Santiago”, diz. Presidindo a FEMACO e, à época, deputado federal, Santiago viu em Jhonatan uma pessoa para ajudá-lo no dia a dia, dando todo o suporte necessário inclusive no relacionamento com os sindicatos filiados. “Acabei conhecendo os SIEMACOs e me interessei muito pelo trabalho dos sindicatos. Entendi a diferença entre entidades sindicais, o papel do sindicato de base e o papel institucional da federação. Minha mente se ampliou naquele momento”.

Com seu trabalho sendo reconhecido dentro da federação, em 2015 Jonathan tem mais uma mudança radical, foi convidado para ajudar dentro do SIEMACO Guarulhos, com um braço de apoio do então presidente, Nivaldo Candido da Costa. “O sindicato vinha de um problema administrativo e financeiro, fruto da fatídica Reforma Trabalhista, que prejudicou muito a arrecadação do sindicalismo como um todo. Na época, tínhamos cerca de 2.500 trabalhadores filiados, de uma base de oito mil representados. Dentro dessa dificuldade, ajudei na área administrativa, revendo pessoal, realocando funcionários e fortalecendo a comunicação com as categorias que representamos”.

Com o tempo, Jhonatan foi apoiando cada vez mais o trabalho de Nivaldo e aprendendo como o trabalho funcionava. “Nivaldo é essencial para a história do SIEMACO Guarulhos, devo muito a ele. A confiança que ele depositou em mim ‘’e algo que nunca esquecerei”.

Hoje, com cerca de 4.000 filiados, o jovem sindicalista atribui o crescimento do SIEMACO Guarulhos a vários fatores juntos. “Nossa comunicação é dinâmica, abusamos das redes sociais, fazemos sorteios, levamos a raspadinha premiada ao ambiente de trabalho, mas também fazemos o trabalho de base forte. Temos também um bom relacionamento com as empresas — uma via de mão dupla, pois o trabalhador precisa de um sindicato e da empresa, então precisamos colocar isso em sincronia. Assim o trabalhador se sente acolhido e representado”.

Extrapolando o sindicalismo, mudando a vida de toda a sociedade

Voltando às raízes periféricas, Jhonatan aproveitou a força do sindicato e começou a envolver-se com programas que podem ajudar a sociedade como um todo, levando a ideia do Sindicato Cidadão como uma bandeira pessoal. Além de apoiar boas causas, desde 2019 participa ativamente no Conselho Municipal de Trabalho, Emprego e Renda Guarulhos, por indicação da União Geral dos Trabalhadores de São Paulo (UGT-SP). O órgão tripartite (empresas, governo e sindicatos) foi criado para ajudar na qualificação da população, na busca por maior empregabilidade, atuando principalmente em zonas de vulnerabilidade social.  Este ano, como reconhecimento das suas contribuições, foi eleito por unanimidade como presidente do conselho. “É com grande orgulho que assumi esse desafio, que sei que vem também com uma grande responsabilidade. Temos muitos projetos andando, inclusive de Renda Cidadã. Queremos trazer a Lei Paul Singer (17.587 – 26/07/21), que cria o Marco Regulatório Municipal da Economia Solidária, para Guarulhos. A ideia é que esse conselho traga um programa de renda para o pessoal de vulnerabilidade social, ideologia total de Sindicato Cidadão”, explica.

“Tive uma realidade de uma grande pobreza, onde o pobre não tem voz pra nada. Vim do Jardim Lenize, extremo periferia, muito afetado pelo descaso do sistema. Um local que conta com apenas um hospital público para 300 mil pessoas e nenhum programa de capacitação. Tudo o que faço é forma de retribuir, tudo que aprendi e conquistei é uma ponte. Quero construir mais pontes para esse jovem da periferia. Até uso meu exemplo pra mostrar que eles podem mudar a própria realidade deles. O jovem da periferia precisa de bons modelos, de referência.”

Daqui pra frente

Para o futuro, Jhonatan se mostra esperançoso e cheio de ideias. Para o sindicalista, o importante é manter o SIEMACO Guarulhos em uma transformação constante. “Nunca  ficar inerte, sempre se ajustando e se moldando para estarmos sempre preparados. Estamos indo bem, temos diálogo toda sexta-feira com os funcionários, entendendo as dificuldades e levando soluções em conjunto. Queremos agir, ser vistos como agentes de transformação dentro da Limpeza. Queremos ampliar cada vez mais a voz das nossas categorias, instalamos o aplicativo, que já é responsável por 65% do atendimento sindical, investimos em tecnologia e toda forma de dar cada vez mais qualidade de vida para nossa base. Hoje o patrão pensa duas vezes antes de cometer alguma injustiça com o nosso trabalhador”.

“Investimos em tecnologia e toda forma de dar cada vez mais qualidade de vida para nossa base. Hoje o patrão pensa duas vezes antes de cometer alguma injustiça com o nosso trabalhador”.

Jhonatan Silva Moura