Renata Souza, presidente do SIEMACO Piracicaba:

Encurtamos distâncias, ampliamos nosso apoio e conseguimos grandes conquistas.

O sindicalismo tem mudado nos últimos anos. A Reforma Trabalhista e outras pautas de retirada de direitos sociais fizeram com que as entidades de representação buscassem novas frentes de luta e se preocupassem, cada vez mais, com os temas envolvendo o Sindicato Cidadão – que engloba melhoria da qualidade de vida da classe trabalhadora dentro e fora do ambiente de trabalho.

Nessa perspectiva, o Instituto Arlindo Gusmão de Fontes (IAGF) virou um braço importante da FEMACO, incluindo na convenção coletiva de diversas categorias representadas pela federação melhorias na vida dos trabalhadores e das trabalhadoras. Entre os sindicatos parceiros nessa nova fase sindical, está o SIEMACO Piracicaba, que representa cerca de 8 mil trabalhadores de Piracicaba e outros 22 municípios da região, com cerca de 40% da base filiada, dentro dos prestadores de serviço em empresas da Limpeza Urbana, do Asseio e Conservação, de Áreas Verdes e Controle de Pragas.   

Em seu segundo mandato presidindo o SIEMACO Piracicaba, a doutora Renata Souza, que atua há 20 anos no movimento sindical e tem formação em Ciências Jurídicas,  falou um pouco com nossa equipe de reportagem sobre essa mudança no sindicalismo e as suas perspectivas para o futuro sindical. 

Segundo a sindicalista, a entrada do trabalho do IAGF mostra uma perspectiva que vai além dos serviços oferecidos por intermédio do instituto. “A questão da saúde é de extrema importância, mas nos fortalecemos muito também com a formação do trabalhador. Existe uma visão diferenciada do instituto, uma preocupação maior para que nossas categorias tenham mais conteúdo, dando ferramentas para que o sindicato traga um bom palestrante, trabalhando a motivação e o treinamento desses profissionais. Quando o nosso representado conhece esse lado, ele tem um novo olhar para dentro do seu próprio sindicato”. 

Com duas décadas de atuação sindical, Renata enaltece a possibilidade de um maior cuidado com a saúde dos trabalhadores e das trabalhadoras. “O nosso trabalho mudou muito, pois existe agora uma atenção especial à saúde do trabalhador. A gente conseguiu levar um pouco da questão médica e odontológica, que tanto a gente buscava na convenção coletiva. Com essa assistência, o sindicalismo pode agregar esse benefício. E melhor, oferecemos profissionais qualificados, com direito ainda a fazer exames, então a categoria não fica desprotegida após a consulta. Ainda são quatro especialidades, mas a ideia é que esse apoio cresça e aumente”.

A presidente do SIEMACO Piracicaba fala ainda sobre o fortalecimento da base e a importância de convenções coletivas fortes, após a reforma trabalhista, e do apoio à saúde do trabalhador, em tempos de pandemia. “Com a Reforma Trabalhista, e a perda de muitos direitos dentro da CLT, as convenções coletivas tornaram-se imprescindíveis. E termos cláusulas específicas, que mantenham conquistas, sempre foi a principal meta para nós. Sobre os auxílios oferecidos, é obviamente um crescimento diário, principalmente na pandemia, quando o trabalhador mais precisa da assistência que oferecemos. Com a maioria das coisas feitas online, a categoria pode agendar sua consulta e ir direto para a clínica escolhida. Assim alcançamos até aqueles que estão mais distantes da sede do sindicato. Temos 22 municípios na nossa base e mostramos que, apesar da distância física, nosso trabalho de apoio à categoria segue firme e forte”. 

“É uma construção diária, uma luta sindical.
Durante esses dois anos que o Instituto Arlindo Gusmão de Fontes está conosco, podemos dizer que foram de grandes conquistas.”

Renata Souza